Inicio » » Procedimento: Glicemia Capilar

Procedimento: Glicemia Capilar

Escrito por: Juarez C. on sexta-feira, 7 de junho de 2013 | 21:07

Execução da Glicemia Capilar


O teste de glicemia capilar possibilita conhecer os níveis prévios de glicemia durante o dia, em momentos que interessam para acompanhar e avaliar a eficiência do plano alimentar, da medicação oral e principalmente da administração de insulina, assim como orientar as mudanças no tratamento. Também é fundamental na contagem de carboidratos, técnica onde tentamos fornecer, antes das refeições, a dose de insulina de ação rápida adequada à ingestão alimentar, evitando-se a elevação da glicemia pós-prandial.


A monitorização é primordial para direcionar as ações que envolvem o tratamento do diabetes. Os resultados destes testes permitem reavaliar a terapêutica instituída, possibilitando os ajustes de doses de insulina, da dieta e da atividade física, os quais devem resultar na diminuição significativa do nível de glicose sanguínea, proporcionando melhora da qualidade de vida e diminuição das complicações decorrentes do mau controle metabólico.

procedimento glicemia capilar

Os valores da glicemia são:


Normal: glicemia de jejum entre 70mg/dl e 99mg/dl e inferior a 140mg/dl - após duas horas após sobrecarga de glicose.

Intolerância à glicose: glicemia de jejum entre 100 a 125mg/dl.

Diabetes: duas amostras colhidas em dias diferentes com resultado igual ou acima de 126mg/dl ou quando a glicemia aleatória (feita a qualquer hora) estiver igual ou acima de 200mg/dl na presença de sintomas.

Material Para o Procedimento

  • Luvas de procedimento;
  • Uma bola de algodão;
  • Álcool a 70%;
  • Fita teste;
  • Lanceta ou agulha 13x4,5 com agulha de insulina;
  • Aparelho próprio para o teste (Dextro);
  • Uma unidade de fita de glicoteste.

Procedimento:

  1. Preparar o material;
  2. Orientar o paciente quanto ao procedimento;
  3. Lavar as mãos;
  4. Calçar as luvas de procedimentos;
  5. Posicionar um dos dedos em que será realizado o teste, de maneira que a gota de sangue pingue na fita reagente conectada ao aparelho;
  6. Comprimir o dedo acima do local a ser puncionado;
  7. Realizar anti-sepsia do dedo com álcool 70%;
  8. Fazer um pequeno furo com agulha de insulina no dedo;
  9. Esperarr a gota de sangue pingar sobre a fita - não tocar o dedo na fita!
  10. Aguardar por 30 segundo aproximadamente;
  11. Fazer a leitura;
  12. Limpar o dedo do paciente;
  13. Organizar o material;
  14. Retirar as luvas;
  15. Lavar as mãos;
  16. Realizar a anotação.

Observação 1: Qualquer alteração, comunicar ao médico do paciente e medicar conforme prescrição médica e de acordo com o resultado encontrado.

Observação 2: Não deixe de usar o álcool 70% acreditando que o mesmo irá interferir nos resultados. Na minha vida acadêmica me deparei com inúmeros profissionais que alegavam não usar o álcool a 70%. De acordo com o parecer nº 002/2010 do COREM de São Paulo,  o álcool a 70% deverá ser usado neste procedimento.

Dúvidas? sugestões? Comente! Ficaremos gratos em receber seu comentário!


0 comentários:

Postar um comentário